Textosvoltar    

Como ajudar e consolar a pessoa pesarosa

 

“Se houver algo que eu possa fazer, deixe-me saber”. Isto é o que muitos de nós dizemos a um amigo ou parente recém enlutado. Não há dúvida de que somos sinceros quando dizemos isso. Faríamos qualquer coisa para ajudar? Mas, será que a pessoa enlutada nos diz: “Pensei em algo que pode você fazer para ajudar-me”? Usualmente não. É evidente que precisamos tomar a iniciativa se realmente iremos ajudar e consolar a pessoa pesarosa. 
 
O que fazer... 
 
Escute: Seja “rápido no ouvir”, uma das coisas mais prestimosas que pode fazer é partilhar a dor da pessoa enlutada por escutar. Alguns enlutados talvez sintam a necessidade de conversar sobre o ente querido que faleceu, sobre o acidente ou a doença que causou a morte, ou sobre seus sentimentos desde o falecimento dele. Assim pergunte: “Gostaria de falar sobre o assunto?” Deixe que eles decidam. Lembrando-se de quando seu pai faleceu, certo jovem disse: Ajudava-me mesmo quando outros perguntavam o que tinha acontecido e então realmente escutavam”. Escute com paciência e empatia, sem necessariamente achar que tem de apresentar respostas ou soluções. Deixe que eles digam o que querem. 
 
Instile confiança: Assegure-lhes que fizeram tudo o que era possível (ou aquilo que sabe ser verdadeiro e positivo). Garanta-lhes que aquilo que sentem tristeza, ira, culpa ou outra emoção – talvez não seja nada incomum. Esteja disponível: Coloque-se à disposição deles, não só nos primeiros dias, quando há muitos amigos e parentes presentes, mas até meses depois, quando os outros já retornaram à sua rotina normal. Assim mostrará um “verdadeiro companheiro” do tipo que apóia o amigo em tempos de aflição. Seja paciente e compreensivo: Não se surpreenda com o que os enlutados possam dizer no começo. Lembre-se de que talvez se sintam irados e culpados. Se você for alvo de seus acessos emocionais, vai precisar de perspicácia e paciência para não responder irritado. 
 
O que não fazer 
 
1 – Não evite o contato com eles por não saber o que dizer ou fazer: Estou certo de que querem agora ficar a sós, talvez digamos a nós mesmos. Mas a verdade pode ser que nós nos mantemos longe por medo de dizer ou fazer algo errado. No entanto, ser evitado por amigos, parentes, talvez faça o enlutado apenas sentir-se mais isolado, aumentando a dor. Lembre-se de que as palavras e ações mais bondosas muitas vezes são as mais simples.
2 – Não se precipite em aconselhá-los a desfazer-se da roupa ou de outros objetos pessoais do falecido antes de estarem dispostos a fazer. Talvez achemos que é melhor que se desfaçam de objetos que podem suscitar recordações, visto que esses de algum modo prolongam o pesar. Mas o ditado “longe dos olhos, longe do coração” não se aplica neste caso. A pessoa enlutada talvez deva ir devagar em deixar de lembrar-se tanto do falecido. 
3 – Não os pressione para deixarem de sentir pesar: “Tudo bem, tudo bem, não chore mais”. Talvez queiramos dizer. Mas pode ser melhor deixar as lágrimas correr. Acho importante que os enlutados demonstrem sua emoção e realmente dêem vazão a ela.
4 – Não evite necessariamente mencionar a pessoa falecida: “Muitos não mencionavam sequer o nome do meu filho Pedro, nem falavam sobre ele”, relembra certa mãe. “Devo admitir que me sentia um pouco ferida quando outros faziam isso. “Assim não mude necessariamente de assunto quando se menciona o nome do falecido. Pergunte à pessoa se sente necessidade de falar sobre o seu ente querido.
Algumas pessoas enlutadas apreciam ouvir os amigos falar das qualidades especiais que tornaram o falecido tão querido por eles.
5 – Não se precipite em dizer: “Assim foi melhor”. Tentar achar algo de positivo na morte nem sempre é consolador para as almas deprimidas, pesarosas. Lembrando-se de quando sua mãe morreu, certa mulher jovem disse: Ela não está sofrendo, ou pelo menos está em paz. Mas eu não queria ouvir isso.
 
 
Comentários assim podem dar a entender aos que perderam um ente querido que eles não deviam estar tristes, e que a perda não fora significativa. 
 
 
Ajudar alguém enlutado requer compaixão, discernimento e muito amor da sua parte. Não diga simplesmente: Se houver algo que eu possa fazer... descubra você mesmo este “algo”, e depois tome a devida iniciativa. 

 


Warning: mysql_select_db() expects parameter 2 to be resource, boolean given in /home/entesque/public_html/view/layout/home.php on line 69

Warning: mysql_fetch_object(): supplied argument is not a valid MySQL result resource in /home/entesque/public_html/config/funcoes.php on line 15

Warning: mysql_free_result() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /home/entesque/public_html/config/funcoes.php on line 18